Buscar
  • Daniel Takata

A melhor campanha do Brasil em Jogos Pan-Americanos. Será mesmo?


Equipe feminina de basquete do Brasil, medalha de ouro no Pan de Lima (foto: Pedro Ramos/rededoesporte.gov.br)

A essa altura, talvez você já saiba: o Brasil conquistou, nos Jogos Pan-Americanos de Lima, o maior número de medalhas de sua história no evento.


Foram 55 de ouro, 45 de prata e 71 de bronze, totalizando 171.


Assim, superou sua melhor marca de 52 ouros, 50 pratas e 65 bronzes (157 no total), obtidas no Pan do Rio de Janeiro, em 2007.


Também foi a segunda vez que o país terminou o torneio na segunda colocação no quadro geral, atrás dos Estados Unidos.


Isso não acontecia desde 1963, em outra edição também realizada no Brasil, dessa vez em São Paulo.


Mas será que as 171 medalhas de 2019 realmente representam mais, em termos quantitativos, do que as 157 de 2007?


Afinal de contas, hoje mais medalhas são disputados nos Jogos Pan-Americanos em modalidades e provas adicionais.


Por exemplo, o surfe, o fisiculturismo e o basquete 3x3 fizeram sua estreia em Lima, assim como algumas provas na natação, no boxe feminino, no ciclismo, entre outras.


Revezamento 4x100m medley misto do Brasil, medalha de ouro na natação: prova estreante em Pans (Foto: Abelardo Mendes Jr/rededoesporte.gov.br)

Por isso, neste post faço uma comparação em termos relativos, ao invés de absolutos.


Noutros termos, faço a comparação utilizando o percentual de medalhas conquistadas em relação ao total.


Por exemplo, em São Paulo-1963, o Brasil conquistou 14 ouros, 20 pratas e 18 bronzes, 52 no total.


A quantidade de medalhas de ouros conquistadas representou, na época, 8,97% do total dos ouros distribuídos no evento.


E as 52 medalhas, 11,23% do total.


Apenas em 2003 o Brasil conseguiria uma campanha melhor em termos do percentual do total de medalhas: 11,35%.


E, em relação ao percentual de ouros, somente em 2007 uma campanha melhor seria observada: 15,62%.


Aliás, essa é, até hoje, por esse critério, a melhor campanha brasileira.


Pois os 55 ouros da edição de 2019 representaram 13,13% do total de ouros distribuídos.


Número que também fica atrás da campanha da edição de 2011 (14,12%).


Em termos do total de medalhas, a delegação brasileira amealhou, em Lima, 12,56% de todas as medalhas distribuídas.


Fica atrás das campanhas do Rio-2007 (14,59%) e de Guadalajara-2011 (13,42%).


Ou seja, a campanha do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no quesito aproveitamento em relação ao total de medalhas distribuídas, é a terceira melhor da história, conforme a tabela a seguir.


Edição Ouro Prata Bronze Total

Rio-2007 15,62% 12,05% 15,82% 14,59%

Guadalajara-2011 14,12% 11,01% 14,76% 13,42%

Lima-2019 13,13% 10,74% 13,58% 12,56%

Toronto-2015 11,48% 10,77% 13,13% 11,90%

São Paulo-1963 8,97% 13,07% 11,69% 11,23%

S. Domingo-2003 8,58% 11,76% 13,30% 11,35%


É bom deixar claro que essa é uma análise somente quantitativa, e não qualitativa.


Não leva em conta a qualidade dos concorrentes em cada modalidade em cada época, o que seria uma tarefa muito complexa e, talvez, quase impossível.


Portanto, se em termos absolutos a campanha de Lima foi a maior da história, em termos relativos ficou aquém das campanhas de 2007 e de 2011.

99 visualizações

Entre em contato

Caso tenha dúvidas, críticas, sugestões ou simplesmente queira entrar em contato, preencha o formulário e clique em "Enviar".
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • Twitter Social Icon
  • YouTube

© 2019 por Daniel Takata.