Entre em contato

Caso tenha dúvidas, críticas, sugestões ou simplesmente queira entrar em contato, preencha o formulário e clique em "Enviar".
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • Twitter Social Icon
  • YouTube

© 2019 por Daniel Takata.

Buscar
  • Daniel Takata

Como a análise de dados está mudando o esporte

O texto a seguir, em tradução livre, foi publicado no site da Forbes, a mais conceituada revista de negócios e economia do mundo. O texto original pode ser lido aqui.


Como a análise de dados está mudando o esporte


Por Abhas Ricky (diretor de estratégia e inovação da Hortonworks)


Qualquer fã de beisebol sabe que a análise de dados é parte essencial do esporte. Mas, hoje em dia, isso vai muito além da melhora de desempenho de jogadores. Espera-se que o mercado de análise de dados no esporte alcance quase US$ 4 bilhões em 2022, ajudando uma variedade de organizações esportivas em diversas áreas. A seguir saiba como a análise de dados no esporte terá ainda mais proeminência.


Ajudar times a vencer


Ninguém sabe o papel da análise de dados melhor do que o Oakland Athletics, o time de beisebol que o gerente geral Billy Beane ajudou a levar aos playoffs com um orçamento limitado utilizando análise de dados de partidas para identificar jogadores subvalorizados. O feito inspirou o livro e depois o filme Moneyball.


Hoje, o uso de softwares especializados aumentou e agora são utilizados para registrar dados por vídeo em tempo real. E não são apenas times de beisebol que se aproveitam dessa tecnologia.


A análise automatizada de vídeo ajudou, por exemplo, o pouco expressivo time de futebol Lincoln City, da Inglaterra, a chegar às quartas-de-final da Copa da Inglaterra em 2017. Foi a primeira vez, em 103 anos, que um time fora das quatro primeiras divisões do país foi tão longe na competição (saiba mais aqui).


O pouco expressivo Lincoln City foi longe na Copa da Inglaterra de 2017, graças à ciência de dados (foto: Getty Images)

No basquete, o software RSPCT utiliza uma câmera 3D para mapear e analisar cada arremesso, incluindo trajetória e localização. Assim, os treinadores conseguem ter um entendimento completo do desempenho de cada jogador.


Monitorar o engajamento dos torcedores


As organizações esportivas podem detectar padrões no engajamento digital, tais como audiência online, e assim entender o que e quando os torcedores estão assistindo através de aplicativos e vídeos online. Assim, criam-se mais experiências imersivas através de realidade aumentada. São conduzidas análises de sentimentos através das redes sociais para entender o que os torcedores estão pensando e assim saber como conseguir o engajamento deles através das mídias sociais.


Dados de engajamento dos torcedores também se estendem a estádios e arenas, em que os times podem utilizar ingressos eletrônicos, pelo celular, para analisar os movimentos da torcida. Já vemos esse tipo de análise nos times mais inovadores. O New England Patriots, do futebol americano, mapeia os dados do que os torcedores compram nas lojas do clube e também quando eles compram ingressos. Utilizando esses números, conseguem ter um controle sobre o preço a colocar no ingresso, o que disponibilizar na loja do clube etc.


Trazer benefícios à comunidade


Os dados podem também ajudar os times a vender mais cervejas e melhorar o fluxo nos estacionamentos dos estádios. Essa é uma oportunidade emergente na análise de dados no esporte: mapear o comportamento dos torcedores fora dos estádios e das arenas. Conectando-se com outras empresas - como empresas de telefonia, de cartões de crédito e outras - as organizações esportivas podem ter um entendimento melhor sobre o comportamento dos fãs antes de eles chegarem ao estádio e após saírem dele. Não apenas isso pode ajudar a direcionar que mensagens e ofertas seriam mais efetivas para atingir o público, como também pode fornecer um conjunto de dados valioso para melhoria de políticas públicas.


(reprodução/scisports.com)

Melhorar a gestão


A análise de dados também pode levar a melhorias em termos de gestão de negócios, da cadeia de suprimentos e da parte logística.


Utilizando tecnologias avançadas de análise de dados, as companhias podem melhorar as práticas de recursos humanos e a gestão da relação com o cliente. Times e associações podem tomar decisões chave sobre seus principais produtos e serviços para ajudar a melhorar a experiência para consumidores e maximizar as vendas.


Na Conferência de Análise Esportiva do ano passado, em Boston, Evan Wasch, vice-presidente sênior de Estratégia e Análises da NBA, descreveu uma teia intrincada de pontos de decisão que afetam a qualidade do produto (no caso, o campeonato de basquete), indo desde o reagendamento de jogos e estrutura de playoffs às loterias do draft (seleção de jogadores vindos de universidades). Os dados podem levar a pequenas mudanças que fazem grandes diferenças, de acordo com ele.


Expandir parcerias


O esporte é um negócio enorme construído sob parcerias que vão desde patrocínios e propagandas até trocas de jogadores. Anteriormente, quando os times negociavam, eles não tinham muitas informações disponíveis, e trabalhavam com margens de erro muito grandes. Agora, embasados com dados dos sistemas de análises de dados, os times podem otimizar os negócios e poupar milhões de dólares.


O uso da análise de dados no esporte cresce à medida que os dados crescem. Graças a equipamentos de mapeamento e softwares especializados, um jogo pode gerar mais de um milhão de dados. E isso apenas durante o jogo - imagine se levarmos em consideração dados de treinamentos, de torcedores etc. A análise de dados está sempre se desafiando para extrair o máximo de informação dessa miríade de números. Ejá produz resultados que têm mudado o esporte.

95 visualizações