Entre em contato

Caso tenha dúvidas, críticas, sugestões ou simplesmente queira entrar em contato, preencha o formulário e clique em "Enviar".
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • Twitter Social Icon
  • YouTube

© 2019 por Daniel Takata.

Buscar
  • Daniel Takata

Como o Fluminense, com 99% de chances de ser rebaixado, conseguiu se salvar em 2009?

Esse é um assunto muito relembrado quando se fala de probabilidades em campeonatos de futebol.


Em 2009, o Fluminense fazia uma campanha muito ruim no Campeonato Brasileiro.


A sete rodadas do final, em diversas reportagens, matemáticos e estatísticos afirmavam que havia 99% de chances de o time terminar o torneio entre as quatro piores equipes e, assim, ser rebaixado para a segunda divisão.


O que aconteceu foi que o time se recuperou e, no final das contas, não caiu.


Fred: herói do Fluminense na reta final do Campeonato Brasileiro de 2009 (foto: divulgação)

Isso gerou indignação de algumas pessoas, que argumentavam que "a estatística errou", e até que "probabilidade não existe quando se fala em esporte."


Será mesmo?


Como será que o Fluminense conseguiu evitar o rebaixamento nessa situação?

A resposta é simples: porque havia 1% de chances de o time não ser rebaixado.


Parece óbvio, mas muita gente não possui o raciocínio probabilístico.


Nos campeonatos anteriores e nos posteriores, diversos times, em dado momento dos campeonatos, também tinham 99% de chances de serem rebaixados.


E o que aconteceu? No final, a esmagadora maioria desses times acabou realmente sendo rebaixada.


Convenhamos: em 2009, o Fluminense havia vencido cinco jogos em 31 rodadas. Nas últimas sete, precisava vencer ao menos seis, mais do que havia feito no campeonato inteiro. Alguém realmente acha que havia uma boa chance de isso acontecer?


Só que isso, eventualmente, acontece. Raramente, mas acontece. E o que ocorreu naquela ocasião foi uma dessas raras situações.


Se imaginarmos diversos cenários parecidos, certamente, em muitos, o time não conseguiria tal reação e seria rebaixado.


E é isso que é levado em conta nos cálculos, geralmente obtidos exatamente por simulações de diversos cenários.


Então, não, a estatística não errou. Aconteceu um evento improvável, que, apesar de ser improvável, não é impossível.


E, afinal de contas, 99% é diferente de 100%.


Pode parecer simples, mas muita gente não entende.


E é através dessa falha de raciocínio que casas de apostas ganham muito dinheiro em cima dos apostadores, que muitas vezes não conseguem avaliar adequadamente as chances de cada time.


Sim, jogos de apostas são essencialmente jogos de probabilidades. Como vocês acham que as cotações são determinadas?


Mas isso é um assunto para um próximo post.


Não se esqueça de checar o vídeo sobre o assunto no canal do Esportístico no YouTube para mais detalhes.





121 visualizações