Entre em contato

Caso tenha dúvidas, críticas, sugestões ou simplesmente queira entrar em contato, preencha o formulário e clique em "Enviar".
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • Twitter Social Icon
  • YouTube

© 2019 por Daniel Takata.

Buscar
  • Daniel Takata

Os maiores medalhistas olímpicos do vôlei masculino

Que o Brasil é uma potência do vôlei olímpico, disso ninguém duvida.


No masculino, com seis finais disputadas e três medalhas de ouro, temos vários atletas multi-medalhistas.


Mas será que, individualmente, os jogadores brasileiros estão entre os maiores medalhistas da história do vôlei olímpico?


Será que houve atletas da ex-União Soviética, potência entre as décadas de 60 e 80, que conquistaram mais medalhas? Ou jogadores dos Estados Unidos?


Esse é o levantamento que trazemos hoje. E, talvez sem muita surpresa, o atleta mais vencedor da história do vôlei masculino olímpico é o brasileiro Serginho.


Serginho e seu ouro em 2016 (foto: Danilo Borges)

+ Siga o Esportístico no Instagram

+ Curta a página do Esportístico no Facebook

+ Conheça o canal do Esportístico no YouTube


Serginho conquistou quatro medalhas. Nesse quesito, está empatado com o russo Sergey Tetyukhin e com o italiano Samuele Papi. Mas o brasileiro leva vantagem no número de ouros: foram dois, em 2004 e 2016, enquanto Tetyukhin levou um, em 2012, e Papi jamais foi campeão olímpico.


Com esse rol de conquistas, e ainda um troféu de MVP conquistado em 2016, não é exagero dizer que Serginho é o maior jogador da história do vôlei masculino olímpico.


Com três medalhas, há quase duas dezenas atletas. E quatro deles são brasileiros: Dante, Giba, Rodrigão e Bruninho, cada um com um ouro e duas pratas. Confira a lista a seguir.



4 medalhas


Serginho (Brasil) – 2 ouros (2004 e 2016) e 2 pratas (2008 e 2012)

Sergey Tetyukhin (Rússia) – 1 ouro (2012), 1 prata (2000) e 2 bronzes (2004 e 2008)

Samuele Papi (Itália) – 2 pratas (1996 e 2004) e 2 bronzes (2000 e 2012)


3 medalhas


Yuriy Poyarkov (União Soviética) – 2 ouros (1964 e 1968) e 1 bronze (1972)

Steve Timmons (EUA) – 2 ouros (1984 e 1988) e 1 bronze (1992)

Dante (Brasil) – 1 ouro (2004) e 2 pratas (2008 e 2012)

Giba (Brasil) – 1 ouro (2004) e 2 pratas (2008 e 2012)

Rodrigão (Brasil) – 1 ouro (2004) e 2 pratas (2008 e 2012)

Bruninho (Brasil) – 1 ouro (2016) e 2 pratas (2008 e 2012)

Katsutoshi Nekoda (Japão) – 1 ouro (1972), 1 prata (1968) e 1 bronze (1964)

Vladimir Kondra (União Soviética) – 1 ouro (1980), 1 prata (1976) e 1 bronze (1972)

Andrea Giani (Itália) – 2 pratas (1996 e 2004) e 1 bronze (2000)

Andrea Sartoretti (Itália) – 2 pratas (1996 e 2004) e 1 bronze (2000)

Paolo Tofoli (Itália) – 2 pratas (1996 e 2004) e 1 bronze (2000)

Aleksey Kuleshov (Rússia) – 1 prata (2000) e 2 bronzes (2004 e 2008)

Vadim Khamuttskikh (Rússia) – 1 prata (2000) e 2 bronzes (2004 e 2008)

Alessandro Fei (Itália) – 1 prata (2004) e 2 bronzes (2000 e 2012)

Luigi Mastrangelo (Itália) – 1 prata (2004) e 2 bronzes (2000 e 2012)


Já com duas medalhas, a lista é tão grande (mais de 70 jogadores) que, dentre esses, vale a pena mencionar que são apenas oito que conquistaram duas medalhas de ouro. Entre eles, estão dois brasileiros: Maurício Lima e Giovane Gávio, campeões olímpicos em 1992 e 2004.


11 visualizações