Buscar
  • Daniel Takata

Uma a cada 69 anos: campanha do Fla no Brasileiro é exceção estatística

O levantamento a seguir foi feito por mim para o site da revista VEJA. O objetivo é quantificar o quanto a campanha do Flamengo na atual edição do Campeonato Brasileiro de futebol, até a 32ª rodada (faltando seis para o final), é fora de série.


O texto está reproduzido abaixo, e também publicado neste link. Com o intuito de verificar o quanto é excepcional a campanha de 77 pontos em 32 rodadas do Flamengo, utilizei Teoria de Valores Extremos.


A distribuição de valor extremo é um modelo estatístico para todos os tipos de extremos, como dias mais quentes ou mais frios, chuvas mais fortes, recordes de atletismo etc. Baseada nos dados observados nos Campeonatos Brasileiros de 2003 a 2019 (era dos pontos corridos), a distribuição pode nos dizer o quanto a pontuação do Flamengo se afasta de como as outras pontuações ocorreram nos anos anteriores. E, dessa maneira, pode-se calcular a probabilidade de se observar uma campanha como a do Flamengo ou ainda melhor.


E, acreditem, é bem improvável.


Segue o texto.


Flamengo, líder com 77 pontos em 32 rodadas (Kaio Lakaio/VEJA)

Uma a cada 69 anos: campanha do Fla no Brasileiro é exceção estatística


Daniel Takata, professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do Rio de Janeiro, estudou os números quase inalcançáveis do rubro-negro


Por Alexandre Senechal, Luiz Felipe Castro


São 77 pontos em 32 rodadas. Dez de vantagem para o segundo colocado. A marca que coloca o Flamengo com uma mão na taça a seis jogos do fim do Campeonato Brasileiro é um recorde. Utilizando um modelo matemático para analisar todas as edições do torneio desde 2003 – quando a competição passou a ser disputada por pontos corridos –, o professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do Rio de Janeiro Daniel Takata, responsável pelo site Esportístico, conseguiu quantificar a raridade do feito rubro-negro: a chance de qualquer outro time repetir uma campanha dessas é de 1,44%. Na prática, é provável que algo assim volte a acontecer daqui a 69 anos.


O Brasileirão passou a ser disputado por 20 times apenas em 2006, portanto Takata usou como base a pontuação das equipes após 84% do campeonato disputado, que representa a 32ª rodada hoje, para poder analisar os torneios entre 2003 e 2005. A essa altura da competição, apenas uma vez a equipe que liderava o torneio não ficou com o título nacional: o Palmeiras de 2009.


Em duas ocasiões, o primeiro colocado tinha mais pontos de vantagem na liderança. O São Paulo de 2007 e o Cruzeiro de 2013 conseguiram abrir 13, mas não haviam conquistado tantos pontos: 67 e 68, respectivamente.


A campanha do Flamengo até agora se torna ainda maior se colocada lado a lado com a do vice-líder Palmeiras. O time paulista é o melhor segundo colocado da história, com 67 pontos conquistados após 32 jogos. A pontuação colocaria o time no topo da tabela em quase todos os Brasileiros por pontos corridos, exceto em três oportunidades: em 2012, 2013 e 2015.


A média de pontuação dos líderes após 32 rodadas era de 63,7 pontos – considerando os ajustes feitos por Takata para abarcar os torneios entre 2003 e 2005. O Flamengo supera a marca em mais de 13 pontos. O time que havia conquistado mais pontos até essa altura do campeonato antes do rubro-negro foi o Corinthians de 2015, que fez 71.


84 visualizações

Entre em contato

Caso tenha dúvidas, críticas, sugestões ou simplesmente queira entrar em contato, preencha o formulário e clique em "Enviar".
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • Twitter Social Icon
  • YouTube

© 2019 por Daniel Takata.